Só sei que nada sei. Talvez não seja bem assim, mas as dúvidas e incertezas são uma constante.
Sábado, 30 de Maio de 2009
Frustrações e silêncios das crianças

O Sr. Javier Urra, psicólogo, pedagogo e terapeuta espanhol, professor de psicologia na Universidade Complutense de Madrid e psicólogo forense no Tribunal Superior de Justiça e no Tribunal de Menores de Madrid, escreveu um livro sobre os segredos dos adolescentes portugueses. Segundo o artigo no i de hoje, para recolher material para o estudo serve de base ao livro, “Durante meses o psicólogo clínico espanhol entrou nas escolas de todo o país. Pediu aos adolescentes e também aos adultos para escreverem numa folha em branco o que escondem uns dos outros. Coleccionou 3400 desabafos anónimos e colocou-os no seu livro “O que Ocultam os Filhos e o que Escondem os Pais”.

É provável que o livro tenha valor em correspondência com a experiência do autor. O extenso artigo do i, assinado por Kátia Catulo, explica com algum pormenor as conclusões do estudo – e portanto do livro -, reproduz conselhos, contém uma curta entrevista com o autor e dá exemplos dos “segredos na família”. Vale a pena reproduzir estes “segredos”:
O que escondem as raparigas
- Namoros
- Relações sexuais, sobretudo na faixa etária entre os 15 e os 18 anos
- Problemas e as conversas com as amigas
- O que fazem com o tempo livre (dos 15 aos 18 anos)
- Faltas às aulas, fumar e beber

O que escondem os rapazes
- Comportamentos errados dentro e fora da escola
- Vida íntima e as relações amorosas
- Masturbação
- O que fazem com os amigos
- As notas e quase tudo o que se passa na escola
- Jogar videojogos fora dos horários determinados pelos pais. Ver os filmes que querem e quando lhes apetece
- Onde vão nos tempos livres e o que fazem durante as saídas. Beber e fumar

O que escondem os pais
- Dificuldades financeiras e problemas em geral para não preocupar os filhos
- Assuntos e experiências que viveram na adolescência
- Problemas conjugais, tema interdito sobretudo para as mães entre os 30 e os 45 anos
- Problemas de saúde e inquietações com o trabalho

Dito assim parece que o livro nada tem de original e que possa causar surpresa.

Mas o que o artigo não explica é como o psicólogo espanhol coligiu o material, se para entrar nas escolas e interrogar os adolescentes teve autorização dos pais, dos conselhos directivos das escolas, do Ministério da Educação, que tipo de abordagem teve para com os jovens que colaboraram. Este ponto parece-me importante, para além das conclusões e do eventual valor científico ou pedagógico do estudo, para explicar se o autor teve a “boa comunicação” que recomenda aos pais.
 



publicado por Pedro Freire às 21:38
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

Pais Jorge e os swaps tóx...

Será este o Governo que n...

Neo-liberalismo

Eleições na Venezuela

Morreu Chávez. Que farão ...

Ainda a alta velocidade

Confusão a alta velocidad...

Ignorantes

Que confusão

Que é feito da luta dos m...

arquivos

Agosto 2013

Julho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

tags

todas as tags

favoritos

Por quem dobram os carril...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds