Só sei que nada sei. Talvez não seja bem assim, mas as dúvidas e incertezas são uma constante.

Sábado, 1 de Setembro de 2012
Que confusão

A notícia caiu como uma bomba, certeira, apontada com pontaria para atingir, ao que parece, o encerramento da Universidade de Verão do PSD:

A UTAO estima para o primeiro semestre um défice, na contas nacionais, de 6,9%, o que torna ao Governo praticamente impossível atingir no fim do ano a meta de 4,5%.

 

Para compreender bem o alcance da notícia ouvida na TV (praticamente em todos os canais informativos nacionais), procuro a fonte original. A LUSA, citada como fonte pelo Diário Digital, já não tem a notícia em linha (para quem não compreenda o que significa "em linha", esclareço que é em português o mesmo que "on line" ou "online" em inglês). Assim limito-me a ler a notícia em segunda mão, não só no Diário Digital, mas também no Negócios online. Segundo estes órgãos de comunicação: «O défice orçamental no primeiro semestre do ano ter-se-á situado nos 6,9%, calcula a Unidade Técnica de Apoio Orçamental» no parágrafo guia (lead) da notícia. Mas ao procurar o desenvolvimento, em ambos os periódicos, não consigo mais encontrar qualquer referência às contas do primeiro semestre. O que vejo são referências a um «relatório sobre a execução orçamental dos sete primeiros meses do ano», sem dados quantitativos relativos a este período, e ao «primeiro trimestre do ano» no qual o défice em contabilidade nacional se teria «situado entre os 6,7% e os 7,1%». Esta última referência, aliás, não é nova: Já em Julho, a mesma UTAO, assinalara «que o défice do primeiro trimestre "se encontra ainda distante da meta orçamental para 2012" e o INE revelara, para esse período, um valor do défice orçamental muito pior, de 7,9%.


Ficam as dúvidas:

Que diz a UTAO no último relatório sobre os 7 primeiros meses do ano?

Porque não se refere o corpo da notícia ao valor de 6,9% do primeiro semestre referido apenas no parágrafo guia, que costuma ser um introdução ou um resumo da notícia e não conter o dado mais importante sem que este seja desenvolvido ou explicado mais adiante?

A que propósito se cita agora, já em Setembro, um valor relativo ao primeiro trimestre que é diferente do divulgado pelo INE em devido tempo (será pela diferença entre défice orçamental e défice na contabilidade nacional)?

Porque se mistura na mesma notícia citações de 7, 6 e 3 meses?



publicado por Pedro Freire às 18:47
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

Que confusão

arquivos

Agosto 2013

Julho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

tags

todas as tags

favoritos

Por quem dobram os carril...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds